sábado, 24 de maio de 2014

Diário de Bordo: Vampire Bloodlines

Agora que a mensalidade do Wow acabou posso dar atenção a games que já havia começado a jogar e um deles é esse querido jogo de vampiro na qual conheci através de uma edição da EGM. A primeira vez que joguei Bloodlines foi lá nos vindouros anos de 2006/2007, mas infelizmente nunca zerei devido a inúmeros bugs que o jogo possuí, mas ele é tão bom e divertido que é possível ignorar esses empecilhos.

Como não podia deixar de ser, Malkavian foi a escolha, já que é o meu clã favorito e os que tem os melhores diálogos. Criada a bela Cassandra, era hora de ir para Santa Monica. Após receber o abraço, você é julgado pelo Príncipe e tem a chance de continuar chupando sangue por aí, em troca de fazer alguns trabalhos para a Camarilla, e assim você começa sua jornada pela noite.



E pelo bairro tema boate Asylum, no qual tem a minha personagem favorita, a Jeanette, que tem um segredo íncrivel ( e não darei spoiler sobre isso, vá jogar!). Ela té dá algumas missões para fazer, juntamente com sua irmã, e uma delas é ir numa velha mansão assombrada, destruir umas obras de artes, tudo isso para você conseguir a informação de onde está escondido um Nosferatu. E após encontra-lo, o passo seguinte era anular os planos do Sabá o que culmina numa viagem para Dowtown que não começa muito bem...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contador