sábado, 7 de janeiro de 2017

Game Boy Review #7: Aladdin

Primeiramente, esqueça tudo sobre a versão de Super Nintendo, pois a versão de Game Boy nem arranha a superfície. Até porque a versão de Game Boy é um port piorado da versão de Mega Drive. Gráficos bem aquém da capacidade do portátil, músicas extremamente repetitivas, e reforçada pelo fato de ser ruim, nada harmoniosa e cansativas. A melhor coisa é deixar o jogo no mudo e colocar
umas músicas do Led Zeppelin.
É necessário ter paciência com o gameplay, movimentação levemente travada e uma hitbox muito ruim, porém você tem a vantagem de depois de levar um hit, ficar piscando invencível por um tempo consideravel, o que pode realmente te salvar em algumas situações, principalmente nas últimas fases, só não abuse pois pode acabar ficando com vida baixa para quando a situação realmente ficar feia.
Depois de alguns game overs e muita frustração, você vai pegar o jeito do jogo e descobrir que ele é até curto, com um Jaffar até fácil, mas a versão de SNES ele também, então beleza. O jogo vale pela curiosidade, não é algo memorável, e mesmo com todos esses defeitos esta longe de ser um dos piores jogos para Game Boy ( acredite, tem coisa que consegue ser 300% pior).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contador